O Nascimento da SAESP

O Nascimento

Em 1948, era fundada a Sociedade Brasileira de Anestesiologia, com sede no Rio de Janeiro. Já a história da anestesiologia paulista começou em 1950, quando foi criado o Departamento de Anestesia na Associação Paulista de Medicina.

Após dez anos, em 1960, foi criado o Grupo Assessor da Comissão de Defesa da Classe da APM para anestesia. O departamento funcionou na APM até 1965. Neste ano, durante a gestão do dr. Carlos Vita Lacerda de Abreu, a Secretaria do Departamento de Anestesia passou a funcionar numa sala do prédio da Clínica de Anestesia São Paulo, à rua Cincinato Braga, 184, gentilmente cedida pelo Dr. Kentaro Takaoka.

Desde a gestão do dr. Vita já era manifesta a necessidade de expansão e de se conseguir uma sede própria. Em 1966 foi eleita a nova diretoria, composta pelo dr. Raphael Augusto Bellini, presidente, dr. Roberto Ayres Araújo, 1º secretário, dr. Pedro Cronenberg, 2º secretário. Dr. Bellini foi então conversar com o dr. Edson de Oliveira, na época presidente da APM, para que cedesse uma sala dentro do prédio da associação. Dr. Edson afirmou não ser possível essa pretensão, pois as demais especialidades iriam certamente fazer as mesmas exigências. Dr. Edson propôs apoiar a idéia de dr. Bellini contanto que não fosse utilizado o nome de Associação Paulista de Anestesiologia (APA), e mesmo que fossem filiados a Socidade Brasileira de Anestesiologia, continuassem sob o nome de Departamento de Anestesiologia da APM.

Em 1966, com o apoio do dr. Kentaro Takaoka, então presidente da SBA, foi alugada uma sala no Edifício Pasteur, à Avenida Paulista 352, no 3º andar, conjunto 36, em nome da SBA – Regional de São Paulo e Departamento de Anestesia da APM, tendo como fiadores os doutores Kentaro Takaoka e Raphael Augusto Bellini.

Em 1968 foi alugada uma nova sala, a de nº 56, no mesmo edifício, liberando assim os primeiros avalistas. Neste local a secretaria funcionou até 1974, quando mudou para a atual sede própria, à rua Caiubi 666, em Perdizes.

A idéia da compra para a SAESP surgiu em 1972, durante a presidência do dr. Almiro dos Reis Júnior. No entanto, apesar dos esforços para angariar fundos (doações de colegas, bazares em sua residência, etc.) realizados naquele ano e no ano seguinte, 1973, na presidência do dr. Carlos Pereira Parsloe, a aquisição da sede à Rua Caiubi só se concretizou em 1974, durante a 2ª gestão do dr. Almiro. Isso foi possível graças a contribuições financeiras de colegas, rendas de congressos e, principalmente, a empréstimo conseguido junto à Caixa Econômica Estadual, ficando dois diretores da entidade (presidente e secretário) como fiadores.

Tratava-se de uma pequena residência na frente e de uma marcenaria nos fundos, transformadas em sede administrativa e sala de aulas, respectivamente. Como curiosidade, este imóvel pertenceu a famosa pintora paulista Tarsila do Amaral, irmã do introdutor da anestesia regional intravenosa no Brasil, dr. Zepherino Alves do Amaral. Posteriormente, esta sede foi reformada, seu quintal coberto, e instalado o Bar-Bitúrico.

Em 02 de maio de 1969, em Santos, sob o patrocínio do Departamento de Anestesia da APM realizou-se o I Encontro de Regionais da SBA. Nesta ocasião foram aprovadas as criações das secretarias das regionais, seus estatutos e boletins. No boletim nº 3, de junho de 1969, aparece pela primeira vez o nome SOCIEDADE DE ANESTESIOLOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO, e a sigla SAESP.

No boletim de setembro de 1969, o nº 5, foi publicado o primeiro projeto do Estatuto da SAESP, aprovado em 31/10/1969. O boletim nº 6, de 4 de novembro do mesmo ano, merece destaque especial "FUNDAÇÃO DA SAESP". Nele aparece, pela primeira vez, o cabeçalho "Sociedade de Anestesiologia do Estado de São Paulo – Regional de SP da SBA – Departamento de Anestesia da APM". Constam ainda informações sobre a aprovação dos primeiros estatutos da SAESP, em 31/10/69, e também são reproduzidas as metas da SAESP:

Reunir todos aqueles interessados em fomentar o progresso, o aperfeiçoamento e a difusão da especialidade;

Defender todos os interesses profissionais e éticos de seus membros;

Coordenar toda a produção científica relacionada com a especialidade, e divulgar entre os leigos as normas racionais e os propósitos da anestesiologia;

Elevar o padrão profissional patrocinando atividades científicas e didáticas;

Promover o congressamento dos seus associados. Também neste boletim foi declarada extinta a secretaria da Regional de SP da SBA e do Departamento de Anestesia da APM, passando todo o seu acervo para a SAESP, que se torna responsável por funcionar por esses órgãos.

Em 31/10/69 foi fundada a SAESP

A então diretoria do Departamento de Anestesia da APM, composta por dr. Leão João Pousa Machado, presidente, dr. João Brenha Ribeiro, 1º secretário, dr. Álvaro G. B. Eugênio, 2º secretário, fundou a SAESP e exerceu o mandato "tampão" como diretoria, até 31/12/96. Em 05/12/69, em Assembléia Ordinária foi eleita a primeira diretoria da SAESP, composta pelo presidente dr. João Brenha Ribeiro, vice-presidente dr. Renato R. Del Nero, 1º secretário dr. João Baptista Mantoanelli, 2º secretário dr. Hermane Ponce C. Rocha, tesoureiro dr. Luiz Augusto Bayerlein, diretor científico dr. Almiro dos Reis Júnior, diretor social dr. José Monteiro. Essa diretoria tomou posse em 01/01/70. Em 10/01/70 a diretoria da SBA reconheceu a SAESP como sua regional em São Paulo. Em 16/12/70 a APM reconheceu a SAESP como seu departamento de Anestesiologia.

O boletim da SAESP, que era feito em folhas mimiografadas, passou a ser editado em formato impresso em 1971. Em 1972 foi criado o Prêmio SAESP. No mesmo ano foi instituída uma comissão para a compra da sede própria. Um ano depois, em 1973, a SAESP realizou o XX CBA e criou a revista "Resumos de Literatura Anestesiológica Internacional".

Em 06/12/1974 foi adquirida a atual sede da SAESP, à rua Caiubi, 666, pelo valor de 510.000 Cruzeiros Novos, financiado em 10 anos pela Caixa Econômica Estadual. Esta casa, construída em 1938, foi comprada do marceneiro italiano Michele Santoro, que, por sua vez, a comprara em 1966 de Tarsila do Amaral.

Em 1975 a SAESP já possuía mais de 600 associados. Neste ano foi realizado o I curso intensivo preparatório para o TEA, com duração de 11 dias. Segundo o editorial de maio de 1976, a SAESP já contava com 700 sócios ativos. Nesta época foi decidido através de reforma estatutária que o mandato da diretoria passaria a ser de dois anos.

Em 1977 foi realizado o XXIV CBA, na cidade do Guarujá. Em 1978 foi realizada a primeira reforma da nova sede. Neste ano foi eleita vice-presidente da APM a dra. Eugesse Cremonesi. Em 1979 o calendário científico da SAESP foi reestruturado. Os cursos para estagiários de CET’s foram extintos, e os estágios dos CET’s passaram a ser, obrigatoriamente, de dois anos. Criaram-se também os cursos de atualização.

Em outubro de 1980 foi comemorado na cidade de Santos o 30º aniversário da criação do Departamento de Anestesia da APM. A programação científica da gestão 1980/81 contou com a participação de convidados internacionais, como Ty Smith, Penélope Smith e Sol Schneider. Foi realizado em Campinas a I JASB.

Na gestão 1982/83 foi realizada uma reforma no anfiteatro da SAESP. Essa dirteoria ocupou espaços importantes no CRM, APM e AMB. Foi implantado o sistema AIH no Estado de São Paulo.

Em julho de 1983 a SAESP já contava com 1219 sócios. Em 1984, através do dr. Geraldo Alckmin Filho, então deputado estadual, foi pleiteada junto a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, através de um projeto de lei (781/84), a declaração de utilidade pública da SAESP. A declaração oficial da utilidade pública veio através da lei 4.654 do Estado de São Paulo.

A diretoria da gestão 1984/85 tinha como meta a luta pela implantação da Tabela da AMB no Estado de São Paulo. Já para a diretoria de 1986/87, o objetivo era descredenciar os anestesistas junto ao INAMPS e interceder junto ao DIMED para liberação de drogas. Esta gestão pleiteou e obteve a aprovação da AR da SBA para sediar o 36º CBA, em 1989.

A última assembléia da SAESP em 1987, no dia 12 de dezembro, decidiu homenagear o dr. Carlos Pereira Parsloe, presidente da Worls Federationos Societies of Anaesthesiologists – WFSA – 1984/1988, com uma placa no auditório da SAESP.

A resolução CREMESP nº 26/88 no artigo 1º considera a Tabela de Honorários Médicos da AMB como remuneração mínima não aviltante ao trabalho médico.

Em 1989 foi realizado o 36º CBA, no Anhembi, em São Paulo. Neste mesmo ano, no Buffet Mansão Cidade Jardim, foi feita uma comemoração em dose dupla: dia do Anestesiologista e 20 anos da SAESP. Também em 1989 foi introduzido o Programa Descentralizado de Reciclagem e Atualização em Anestesiologia, através de debates orientados gravados em fitas de vídeo cassete. Além disso, este ano marcou a edição de uma monografia intitulada "SAESP 20 anos", de onde extraímos este resumo.

De 1990 à 1999

Em 1990, o presidente era o dr. Raimundo Rebúglio. Naquele ano, pioneiramente editou o livro “SAESP/TSA – Curso de Atualização. Junto à APM, passou a integrar o Departamento Multidisciplinar de Dor.

Nesse período, entre 1990 e 1991, a SAESP intensificou sua eterna luta pela valorização dos honorários médicos. No boletim nº3, do ano de 1991, dr. Raimundo Rebúglio, diante do caos, alertou os anestesiologistas a reivindicarem condições de trabalho dignas e que ofereçam segurança ao paciente anestesiado.

Em 1992, foi lançado o programa MINI-RAIESP – Rodada de Anestesiologia do Interior do Estado de São Paulo. O objetivo era proporcionar maior aproximação e confraternização dos anestesiologistas e outros especialistas do interior, integrando a equipe anestésico-cirúrgica.

Naquele ano, é preciso destacar a 52º RAIESP Araçatuba, que ocorreu dias 14 e 15 de agosto, com 61 participantes. Outros eventos de efeito foram a 26º JASB – Jornada de Anestesiologia do Sudeste Brasileiro - e 26º JOPA –Jornada Paulista de Anestesiologia, realizados no Hotel Transamérica, em São Paulo, entre os dias 28 e 30 de maio de 1992.

Ainda em 1992 foi criado o cargo de Diretor de Assuntos Econômicos, que passou a integrar a diretoria a partir do ano seguinte.

Em 1993, consolidou-se o plano das MINI-RAIESP com a realização de oito rodadas. Também foi feita uma reforma para ampliação da sede da entidade, iniciando a fase de informatização.

A gestão de 1994 e 1995, sob a presidência da dra. Maria Angela Tardelli, tinha o propósito de intensificar o aperfeiçoamento científico e buscar soluções que garantissem ao anestesiologista o direito de gerir o seu trabalho e assegurar remuneração mais justa. Nesse aspecto, foram realizados cursos abordandoas principais situações que freqüentemente afligem os especialistas.

No aspecto econômico, foi organizado um simpósio com anestesiologistas, advogados e presidentes de cooperativas de outras regiões para orientar o processo de criação de uma cooperativa no Estado de São Paulo. Foi também constituída uma Comissão Técnica de Anestesia, em parceria com a CREMESP, com a finalidade de assessorar a condução dos assuntos referentes à área.

A partir de 1996, a SAESP instituiu assessoria jurídica para fornecer pronto atendimento e aconselhamento jurídico aos associados. Apoiou os colegas da Prefeitura de São Paulo quando da implantação do Plano de Assistência à Saúde (PAS), que perdurou durante toda gestão. Neste ano, a JASB foi realizada no Maksoud Plaza em São Paulo, juntamente com a JOPA. O sucesso deste encontro foi tão grande que a diretoria decidiu sediar todas as jornadas subsequentes na referida cidade. Outra novidade foi a implantação do site, tornando a sociedade pioneira da globalização entre as regionais.

A diretoria da SAESP, que tinha como presidente, dr. Pedro Thadeu Galvão Viana, esteve presente às reuniões da APM para implantação do Departamento de Convênios. Com adesão cada vez maior do interior, na capital o número era praticamente inexistente. Apesar do esforço, não foi possível avançar no objetivo de união, seja através das cooperativas, seja aderindo ao Departamento.

Em setembro de 1996, foi lançado o livro da SAESP, iniciado na gestão da dra. Maria Angela Tardelli. No ano seguinte, nove anestesiologistas paulistas foram eleitos para cargos na SBA, de um total de 23 cargos em disputa.

Em 1998, a SAESP passou por mudanças estruturais profundas, principalmente na área de recursos humanos. A contratação de pessoal habilitado para trabalhar com computadores foi o passo inicial, seguido pela informatização total da Sociedade. A inovação permitiu maior interação com os anestesiologistas e notória fluência dos trabalhos rotineiros.

Em 1999, atendendo à necessidade do aprimoramento técnico, prático e científico, iniciou-se o Programa de Educação Continuada (PEC), composto por núcleo de estudos de Reanimação Cardiorespiratória, Dor, Terapia Intensiva, Via Aérea, Bloqueios Regionais e Equipamentos. Também foi implantado o Sistema de Educação à Distância (SED). Um curso virtual que possibilita o aperfeiçoamento do especialista, mesmo com o exíguo tempo que dispõe em seu cotidiano.

O desfecho do biênio 1999-2000 foi marcado pelo lançamento do Manual de Orientação ao Anestesiologista. De extrema relevância, contém as normas que regulamentam a profissão, ensina a conduzir-se diante de evento adverso e inclui resoluções, pareceres e orientações de rotina. O material foi distribuído para todos anestesiologistas do Estado de São Paulo.

Outro fato importante, que concedeu a SAESP sua representatividade máxima na Sociedade Brasileira de Anestesiologia, foi a eleição do dr. Raimundo Rebuglio para a presidência da SBA.

Nossa Sede atual

Visando uma melhor acessibilidade SAESP troca antiga casa de Tarsila do Amaral por cobertura triplex no bairro da Liberdade.

A Sociedade de Anestesiologia do Estado de São Paulo tem novo endereço. Após 41 anos no bairro de Perdizes, em uma espaçosa casa que já pertenceu à pintora Tarsila do Amaral, a sede mudou para o bairro da Liberdade, zona central da cidade.

A inauguração oficial, dia 5 de novembro, contou com a presença de entidades médicas importantes como a Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA), Associação Paulista de Medicina (APM), Sindicato dos Médicos de São Paulo (SIMESP) e Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP).

Autoridades como Jorge Carlos Machado Curi, presidente da APM; Cid Célio Jayme Carvalhaes, presidente do SIMESP, Renato Azevedo, vice-presidente do CREMESP e Airton Bagattini, diretor do Departamento Administrativo da SBA, compareceram à solenidade, que teve também a inauguração de uma galeria para homenagear os ex-presidentes da SAESP.

A galeria é um resgate da memória da própria Sociedade, que foi fundada há 60 anos. Apenas como registro histórico, vale lembrar que a Anestesiologia em São Paulo apresenta uma trajetória de evolução permanente. Com a criação do Departamento de Anestesia da Associação Paulista de Medicina, em 1950, os especialistas de São Paulo passaram a respirar a atmosfera associativa. A primeira diretoria deste Departamento foi presidida pelo Doutor Reynaldo Figueiredo Neves. Deste braço forte do Associativismo Médico de São Paulo, nasceu, em 1969, a Sociedade de Anestesiologia do Estado de São Paulo - SAESP, tendo como primeiro presidente, João Brenha Ribeiro.

Aliás, o atual presidente da Sociedade, Desiré Carlos Callegari enaltece João Brenha Ribeiro e os demais ex-presidentes pelos esforços realizados. Lembra que era um sonho de todos, assim como do conjunto dos colegas anestesiologistas, tornar a sede mais acessível.

“Procuramos um centro onde houvesse metrô e grandes hospitais próximos, que pudesse ter acesso mais tranquilo com estacionamento rotativo para que nossos associados possam frequentar mais a sede” explica.

Essa mudança de sede tem valor simbólico, representa também uma alteração estrutural da própria SAESP, visando à modernização e adequando a parte administrativa aos novos tempos. Só para ter uma idéia, nas novas instalações há sala com computador para consulta à internet, onde o associado pode fazer consultas à rede sempre que necessitar. E uma biblioteca adequada à tecnologia virtual, aumentando a oferta de serviços da Sociedade.

“Nossa perspectiva é permitir maior contato com o associado” ressalta Desiré.

A nova sede

A sede da SAESP ocupa a cobertura triplex no 13º andar de um prédio moderno, com fácil acesso à região da Avenida Paulista, e próximo a hospitais como Beneficência Portuguesa e Hospital do Coração (HCor), localizado à rua Maestro Cardim, 1293, no bairro da Liberdade, na capital paulista.

Os três andares da sede estão divididos em recepção, estoque, copa e a Biblioteca Centro de Conhecimento Carlos Parsloe no primeiro deles. O segundo andar engloba a área administrativa, como secretaria, departamento científico e, futuramente, o departamento de eventos, além de uma sala de reunião. No terceiro andar estão localizadas as salas da presidência e de reunião de Diretoria da SAESP.

A decoração do ambiente é moderna, com diversas paredes de vidro, que valorizam a entrada de luz natural.